fale conosco | como chegar | mapa do site | créditos
 Busca
Metodologia
Programas e projetos
Serviços Oferecidos
Mural
 
você está em: Home / Como atuamos / Mural
 
Mural
Oficinas | Passeios | Eventos Beneficentes | Centro de Estudos
Exposições | Projetos | Depoimentos
 

04/05/2011
Projeto Teatro


Cláudia Vasconcellos
 

Após ter assistido a uma de suas peças, a "Assembléia dos bichos", jovens do Trapézio entrevistam a dramaturga Cláudia Vasconcellos. Veja a matéria produzida pelo grupo sobre esta conversa.

ENTREVISTA NO TRAPÉZIO

No dia 04 de maio de 2011, recebemos a dramaturga Cláudia Vasconcellos no Trapézio. Fizemos uma entrevista e ela nos contou um pouco sobre o seu trabalho.
Nós gostamos muito deste encontro, ela é extrovertida, simpática e divertida, mais legal que a irmã dela.
Ficamos impressionados de saber que ela inventa todas as coisas que escreve e às vezes se inspira em situações que ela vive.
Leiam a seguir como foi a entrevista:

1. Como surgiu a ideia da peça “Assembléia dos Bichos”?
Ela tinha uma amiga atriz que sabia imitar bichos muito bem e criou uma peça pra que ela pudesse atuar.

2. Como você inventou a catapora-do-mato?
Ela sentiu falta de um narrador que contasse a história e para isso inventou a personagem da catapora do mato, que fez uma homenagem a um amigo que tinha uma banda que se chamava “Os Cataporas”.

3. Foi você que inventou a fantasia da catapora-do-mato?
Em primeiro lugar, Cláudia nos contou que no teatro não chamamos de fantasia, mas sim de figurino, e que não foi ela quem o fez, mas sim a figurinista.

4. Qual a cena que você mais gosta?
Cláudia nos disse que era difícil para ela escolher, porque gostava de todas. Mas gosta especialmente do fato da peça começar do mesmo jeito que termina (é um texto cíclico).

5. Quantas peças você já escreveu?
27 peças (19 adultas e 8 infantis).

6. Quantas foram encenadas?
Poucas não foram encenadas, mas as que não foram encenadas foram publicadas em livro. Isso já a deixa satisfeita.

7. Você escreveu livros (que não são peças)?
Sim. “Histórias de Marina”, que é um livro de contos e um romance para adultos.

8. Como se escreve uma cena para o teatro?
Do mesmo jeito como uma história, mas com diálogos e precisa ser possível de ser encenada por pessoas de verdade.

9a. Quanto tempo leva para escrever uma peça?
Depende. Já escreveu uma peça em uma semana e outra em quatro anos. A “Assembléia dos Bichos” levou seis meses.

9b. Quanto tempo leva para montar uma peça?
Varia. É difícil conseguir o dinheiro. Mas depois que consegue, leva dois meses para montar.

10. Por que você começou a escrever para teatro?
Cláudia diz que foi meio sem querer. Uma amiga estava para montar uma peça e perguntou se ela não gostaria de escrever o texto e ela topou. Mas nos contou também que sempre gostou de teatro, desde pequena.

11. Por que você escreve?
Cláudia sempre inventou histórias. Desde que aprendeu a escrever começou a escrever histórias e poemas. Seus pais diziam que ela já era escritora antes de saber escrever.

12. Precisa de que formação para ser escritor? Qual a sua formação?
Estudou Filosofia, mas acha que a melhor formação para um escritor é escrever bastante e ser curioso.

13. Com quantos anos você começou a escrever?
Começou a escrever com cinco anos.

14. Qual a diferença entre um livro, uma peça, uma novela e um filme?
Em um livro, a história é narrada e em uma peça, assim como na novela e no filme, a história é contada pelos próprios personagens. A novela dura bastante tempo e como é divulgada pela TV, muita gente pode assistir. Já no teatro as coisas acontecem ao vivo, os atores estão fazendo para você e eles podem até olhar nos seus olhos. O que mais conta na hora de escrever um roteiro é a imaginação do escritor.

15. Você já fez teatro de máscaras?
Não, mas já usou máscaras em suas peças.

Entrevistadores:

Ana Paula Faulhaber Góes
Carlos Augusto Bertoldo Copino
Flavia Vasconcellos
Ingrid Pinto dos Santos